quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Japão prepara novas medidas para deter aumento de estrangeiros ilegais

As autoridades acham que os métodos para burlar a lei “estão se sofisticando a cada ano” 
Estrangeiros ilegais no Japão

O Departamento de Imigração de Fukuoka está preparando um pacote de medidas a ser apresentado ao Ministério da Justiça para deter o aumento de estrangeiros ilegais no país e reduzir as infrações à Lei de Imigração em vigor.

As medidas serão discutidas nesta quinta-feira (27) em reunião onde participarão representantes da Agência Nacional de Segurança Pública, da Guarda Costeira Nacional, da Agência Nacional de Polícia, do Departamento de Polícia de Kyushu, do Ministério da Justiça, do Ministério Público Japonês, do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-estar Social, do Ministério das Relações Exteriores e do Ministério das Finanças.

Segundo o Ministério da Justiça, as instituições que participarão da reunião formarão um Conselho para traçar medidas de “prevenção e repressão às infrações a Legislação de Imigração”.

As autoridades japonesas acham que os métodos para burlar a atual Lei “estão se sofisticando a cada ano” o que teria provocado o aumento das infrações depois de 22 anos de queda. “Cerca de 63 mil autorizações de permanência no país estão irregulares”, destaca o aviso ministerial.

Entre os métodos usados para entrar ilegalmente no país estão as falsificações de informações cedidas pelos passageiros às companhias aéreas, de impressão digitais e de documentos para parecerem residentes, além de fuga por saídas proibidas dentro dos aeroportos. Via de regra, o objetivo da entrada no país é para trabalhar.

Ainda segundo o Ministério da Justiça, as medidas a serem tomadas visam deter o tráfico de pessoas, inibindo a ação dos criminosos e protegendo as vítimas. O texto não cita medidas relacionadas ao combate a grupos terroristas.
Fonte: Alternativa

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Estudantes da rede estadual de SP farão visita cultural ao Japão em junho

COMUNIDADE

Postado em: 11/05/2016
Dois alunos de japonês do CEL foram aprovados pelo The Japan Foundation
REDAÇÃO
São Paulo- Dois jovens da rede estadual paulista terão uma oportunidade incrível no meio do ano de 2016. Clayton Soares da Silva, de 16 anos, e Monica Mai Furusawa, de 15 anos, ambos estudantes de unidades do Centro de Estudo de Línguas (CEL), foram selecionados para participar do programa Visita Cultural ao Japão em 2016, organizado pela The Japan Foundation, que será realizado nos dias 16 a 30 de junho.
Para passar no processo seletivo, os dois jovens tiveram que participar de uma série de testes como falar sobre si, sua família e estudos, além de mostrar a capacidade em falar para algum tipo de público. Também foi analisada a pontuação obtida pelos dois jovens no exame de proficiência em Língua Japonesa. Para o programa, foram oferecidas três vagas para alunos de todo o Brasil.
Nascida no Japão, Monica veio morar no Brasil com apenas oito anos de idade. Mesmo conhecendo o país oriental, onde tem família, a estudante não esconde a expectativa pela viagem. “Estou ansiosa pois lá faremos entrevistas, iremos visitar escolas. Também iremos conhecer a cidade de Osaka, que é uma cidade que eu não conheci ainda”, afirmou a estudante da E.E. Professora Maria Angerami Scalamandré, em Ibiúna.
Já para Clayton, a viagem ao Japão será a primeira de sua vida. “Estou muito ansioso e feliz ao mesmo tempo. Quando soube que tinha ganhado demorou para cair a ficha, fiquei pensando se era verdade. Depois que caiu fiquei muito feliz”.
“Estudo a língua há quatro anos. Já tenho um certo conhecimento da cultura oriental, então vai ser bem legal conhece-los de perto”, revelou o aluno da E.E. D. Pedro I, localizada no bairro da Vila Americana, em São Paulo.
No Japão, os dois jovens terão pagos pela Japan Foundation hospedagem em hotel, refeição, auxílio-transporte, material utilizado nas aulas, entre outros benefícios. A iniciativa tem como objetivo levar os melhores alunos de Língua Japonesa que estudam nas escolas públicas ou privadas para um intercâmbio no Japão.
Centro de Estudo de Línguas
Para possibilitar que o aluno tenha acesso a um novo idioma, a Secretaria de Educação de São Paulo oferece programas como o Centro de Estudo de Línguas, que possuis cursos presenciais de espanhol, italiano, francês, japonês, alemão e mandarim para alunos a partir do 7º ano do Ensino Fundamental, Ensino Médio regular e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Também é oferecido o curso de inglês, que é voltado somente para estudantes do Ensino Médio. O ensino é ministrado por professores diplomados e possuem módulos semestrais, com duração de até três anos.
Foto: Divulgação
Curso de japonês do Centro de Estudo de Línguas
Fonte: Revista alterntva

shigoto.com.br, visto passagem, emprego no japao

terça-feira, 26 de abril de 2016

Japão estuda conceder visto de 5 anos a trabalhadores estrangeiros sem qualificação

Lideranças propuseram a expansão dos tipos de empregos a estrangeiros 
visto para o japao

Buscando desesperadamente um antídoto para o rápido envelhecimento da população, as autoridades japonesas estão explorando maneiras de atrair mais trabalhadores estrangeiros sem chamar isso de uma "política de imigração".

A imigração é uma matéria sensível em um local onde conservadores prezam pela homogeneidade cultural, e onde políticos temem perder votos de trabalhadores preocupados com a perda de seus empregos.

Mas um mercado de trabalho apertado e a força de trabalho em constante encolhimento estão fazendo com que a equipe do primeiro-ministro Shinzo Abe e parlamentares considerem a opção politicamente controversa.

Sinalizando a mudança, lideranças de um painel do Partido Liberal Democrático (PLD) propuseram nesta terça-feira (26) a expansão dos tipos de empregos abertos a estrangeiros, e a duplicação de seu número ante os níveis atuais de quase 1 milhão.

O plano aponta para a necessidade do Japão considerar o acolhimento de um leque maior de estrangeiros, principalmente para efetuar trabalho não qualificado nos setores de produção em fábricas e construção civil, entre outras áreas que necessitam de mão de obra.

A ideia inicial do painel é sugerir ao governo a concessão de um visto de trabalho de até 5 anos que não poderá ser renovado para estrangeiros sem qualificação profissional, impedindo que eles se fixem no país como imigrantes. Durante o período de validade do visto, os trabalhadores poderiam sair e entrar novamente no Japão.

O ligeiro aumento econômico desde que Abe assumiu em dezembro de 2012, a reconstrução após o tsunami de 2011 e a alta do setor de construção antes da Olimpíada de Tóquio em 2020 impulsionaram a demanda por trabalho ao maior nível em 24 anos.

Isso ajudou a aumentar o número de trabalhadores estrangeiros em 40 por cento desde 2013, com chineses correspondendo por mais de um terço destes, seguido por vietnamitas, filipinos e brasileiros.
Fonte: Alternativa com Reuters

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Panasonic garante direitos de casais para os funcionários gays

Panasonic Japão
A Panasonic deu um passo histórico ao anunciar que, a partir de abril, passará a reconhecer o status de empregados que sejam casados com pessoas do mesmo sexo no Japão.

De acordo com o The Verge, a companhia tomou a decisão por fazer parte dos patrocinadores oficiais das Olimpíadas. Os jogos de 2020 serão realizados em Tóquio e a cartilha do evento inclui cláusulas contra discriminação.

Ainda não foram revelados os detalhes acerca da mudança, mas se espera que ela signifique que os casais homossexuais tenham direito a coisas como seguro de saúde estendido ao parceiro e saídas relacionadas aos filhos do casal.

A atitude é vista como quebra de paradigma porque o Japão praticamente não reconhece homossexuais oficialmente - há apenas três regiões do país que garantem alguns direitos a eles. Dentro da indústria de tecnologia, até então o único nome de peso a fazer frente à situação era a IBM, que trata esses casais da mesma forma como trata os heterossexuais.
Fonte: Olhar Digital

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Toyota vai parar produção no Japão por 1 semana por falta de aço

Explosão em uma fábrica de aço provocou escassez de peças.
Toyota produz de 13 mil a 14 mil automóveis por dia no Japão.
Fábricas da Toyota

A fabricante de automóveis Toyota anunciou nesta segunda-feira (1) que suspenderá a produção em todas suas fábricas de montagem no Japão durante uma semana, depois que uma explosão em uma fábrica de aço provocou escassez de peças.

A empresa com sede em Aichi (no centro do Japão) paralisará as operações de montagem entre os dias 8 e 13 de fevereiro nas 12 fábricas que possui no país asiático, o que também afetará as linhas de produção de suas filiais Hino, Daihatsu e Lexus, confirmou um porta-voz da companhia.

A empresa japonesa revelou que uma explosão registrada no dia 8 de janeiro em uma unidade de sua filial Aichi Steel repercutiu na elaboração das peças de aço, o que motivou sua decisão.

O líder mundial do setor automotivo informou em comunicado que prevê retomar suas operações domésticas no dia 15 de fevereiro, e que a suspensão não afetará em nenhum caso a sua produção no exterior.

A empresa produz mais de 40% de seus automóveis no Japão, com números entre 13 mil e 14 mil automóveis por dia.

A companhia garantiu que "continuará tomando as medidas necessárias para minimizar o impacto deste incidente", como produzir em linhas alternativas operadas pela Aichi Steel e a aquisição de peças de outras siderúrgicas.
Fonte: AutoEsporte com Efe | Foto: AP Photo/Tatan Syuflana

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Recesso de final de ano do Consulado do Japão em São Paulo

recesso final de ano
Consulado Geral do Japão de São Paulo estará fechado nos dias abaixo:

24 de dezembro

25 de dezembro

29 de dezembro a 01 dejaneiro

   Véspera de Natal

   Natal

   Recesso


Devido ao recesso de final de ano, o Setor de Visto seguirá o calendário abaixo com o intuito de evitar imprevistos como roubos ou perdas de passaportes.
  • 23/12/2015 (quarta) e 28/12/2015 (segunda): somente retirada de visto (exceto casos de urgência)
  • Atendimento no horário normal a partir de 04/01/2015 (segunda)

Para mais informações, favor entrar em contato com o Consulado Geral do Japão em São Paulo no Setor de Vistos.

Tel.: (11) 3254-0100

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Apoie a liberação de visto japonês “long term resident” para yonsei, descendente de quarta geração

Ajude-nos a conseguir a liberação do vistoCadastre-se de longa permanência para o descendente de japonês de quarta geração (yonsei). O visto é concedido hoje apenas para nisseis e saneis, que são os descendentes de segunda e terceira geração, mas os yonseis também tem sangue japonês e portanto o mesmo direito GRUPO NO FACEBOOKde ter concedido o seu visto de “long term resident”. Desenvolvemos um GRUPO NO FACEBOOK, uma PETIÇÃO ON LINE para ser direcionada para o governo japonês e um CADASTRO PARA YONSEI receber novidades sobre o assunto. Nesta petição, qualquer pessoaPETIÇÃO ON LINE pode votar, sendo descendente ou não, e pode ser de qualquer país do mundo, para saber mais sobre o projeto, clique no link e leia o conteúdo completo.

 


TEXTO COMPLETO PARA LIBERAR O VISTO PARA YONSEI

Este texto é um apelo para que o governo japonês libere a emissão do visto de longa permanência de quem tem a quarta geração (yonsei) assim como emiteo visto para a segunda e terceira geração (nissei e sansei).

Apoie-nos.

sábado, 3 de outubro de 2015

Conselho de Cidadãos de Tóquio decreta: acabou a era decasségui

Conselho de Cidadãos de Tóquio decreta: acabou a era decasségui
O Conselho de Cidadãos de Tóquio se reuniu em Yokohama, nesse sábado (3), e aprovou um importante documento intitulado “Declaração de Yokohama”.

A declaração proclama o fim da era decasségui. Agora, a ideia é enviar esse documento para os governos do Brasil e do Japão. Sua íntegra pode ser conferida abaixo:

Declaração de Yokohama

“Acabou a era decasségui – Escolhemos ficar no Japão”

Completaram-se, em junho deste ano, exatos 25 anos desde a implementação da reforma na Lei da Imigração Japonesa, que entrou em vigor em junho de 1990.

Como se sabe, esta Lei permitiu que os estrangeiros “nikkeis” (descendentes de japoneses) entrassem no Japão com vistos que não previam limitações no tipo de atividade exercida. Essas atividades poderiam incluir a visita aos parentes e, eventualmente, exercer trabalhos sem qualificação para custear a estadia no país.

Embora haja controvérsias sobre a intenção ou não do governo japonês em usar esta reforma legal para atrair nikkeis estrangeiros como mão-de-obra dos setores automobilístico e de eletroeletrônicos, entre outros, não há margem para dúvidas de que isto desencadeou uma onda migratória de sul-americanos – especialmente de brasileiros – para o Japão. E este fenômeno – assim como cada pessoa que aderiu a este movimento migratório – passou a ser denominado de “dekassegui” (e mais tarde, grafado como “decasségui” nos dicionários de língua portuguesa).

Como se sabe, a palavra “dekassegui” significa literalmente “sair para ganhar dinheiro” e costuma ser usada para denominar os trabalhadores temporários e sazonais, seja no âmbito doméstico ou transnacional. Além disso, este termo carrega uma conotação negativa, associando o indivíduo e/ou grupo a uma imagem de pobreza e falta de compromisso com o local onde foi trabalhar – no caso do migrante transnacional, o seu país de destino.

Decididamente, este não é o caso dos migrantes da rota Brasil-Japão. Hoje, 6 em cada 10 brasileiros no Japão já têm visto permanente. Muitos deles compraram casa no Japão. Um número significativo de brasileiros passou da posição de empregado para empregador de mão-de-obra, e outros tantos já exercem profissões que exigem qualificação. Empresas, lojas, serviços, escolas, organizações não-governamentais e veículos de comunicação fundados ou administrados por brasileiros floresceram nas mais diversas regiões do Japão.

A crise financeira global de 2008, seguida de uma demissão em massa dos brasileiros, poderia ter provocado o desmantelamento da comunidade brasileira no Japão. Não foi o que aconteceu. A maioria dos brasileiros escolheu ficar. O terremoto, tsunami e o pânico nuclear de Tohoku em 2011 também poderiam ter provocado um retorno em massa dos brasileiros. Mais uma vez, a maioria dos brasileiros escolheu ficar.

Ficar no Japão. Ser membro ativo desta sociedade. Contribuir para o desenvolvimento deste país. Foi esta a decisão consciente dos 175.410 brasileiros registrados pelo Ministério da Justiça (conforme as estatísticas de dezembro de 2014), sem contar outros tantos que não aparecem nas estatísticas por terem cidadania japonesa.

Os brasileiros que ficaram no Japão contribuem não apenas trabalhando, consumindo e pagando impostos. Querem fazer parte da corrente do がんばろう日本!“Gambaro Nippon!”. Prova disso é que, diante da tragédia de março de 2011, os brasileiros não ficaram de braços cruzados. Foram para Tohoku prestar ajuda e solidariedade em atividades voluntárias. O sentimento que uniu as pessoas foi este: “Escolhemos ficar aqui, fazemos parte desta sociedade.”

Por tudo isto, nós, brasileiros no Japão, gostaríamos de aproveitar o ensejo dos 25 anos da reforma na Lei de Imigração para decretar o fim da “Era dos dekasseguis/decasséguis”. E declarar oficialmente o início de uma nova era que, na prática, já começou há muito tempo: a era dos “brasileiros residentes no Japão”, cidadãos conscientes dos seus direitos e deveres como membros da sociedade japonesa, sem perder os laços culturais e afetivos com o seu país de origem, Brasil.

Esta nossa declaração é, ao mesmo tempo, uma solicitação dirigida à população em geral, e em especial às autoridades relacionadas, para que colaborem na solução das diversas questões levantadas neste Painel. Pois nunca é demais frisar: “Escolhemos ficar!”

Yokohama, 3 de outubro de 2015.

Conselho de Cidadãos de Tóquio
Fonte: IPC Digital

sábado, 12 de setembro de 2015

Consulado de Tóquio visitará vítimas das enchentes; saiba como ajudar os desabrigados

Consulado de Tóquio visitará vítimas das enchentesNos próximos dias 15 e 16 (terça e quarta-feira), o Consulado-Geral do Brasil em Tóquio visitará os brasileiros afetados pelas fortes chuvas ocorridas nos últimos dias.

Na ocasião, os funcionários consulares verificarão junto aos desabrigados quais são suas principais necessidades.

Por enquanto, o Consulado informa que está recolhendo colchonetes, roupas, produtos de higiene, fraldas e sabonetes, dentre outros produtos que visam a ajudar os brasileiros que sofreram com as recentes inundações.

Quem quiser fazer as doações pode levá-las diretamente ao Consulado em Tóquio: COI Gotanda Bldg. 2F, 1-13-12 Higashi Gotanda, Shinagawa-ku, Tokyo (141-0022)

Médico e psicólogo participarão da visita. O Serviço de Assistência aos Brasileiros no Japão (SABJA) organizará um mutirão para colaborar com a limpeza das casas afetadas.

Em casos de emergência, o Consulado-Geral em Tóquio poderá ser contatado, através do telefone 03-5488-5665, que está funcionando em regime de plantão.

Como ajudar
Alguns lugares estão recebendo doações, como: roupas, fraldas, mamadeira, produtos de higiene pessoal, alimentos não-perecíveis, absorventes feminino, toalhas descartáveis e leite em pó.

Tóquio
Consulado Geral do Brasil em Tóquio: COI Gotanda Bldg. 2F, 1-13-12 Higashi Gotanda, Shinagawa-ku, Tokyo (141-0022)

Gunma

  • Guia Jp Gunma-ken Oura-gun Oizumi-machi Nishikoizumi 2-21-12 2F
  • Infight Japan Gunma-ken Oura-gun Oizumi-machi Furugori 197
  • Sanshin Oizumi Gunma-ken Oura-gun Oizumi-machi Sakata 2-2137-327
  • Barretão Mercado (Dentro do World SHopping Tomi) Gunma-ken Ota-shi Minamiyajima-cho 462

Maiores informações: 0276-55-1149 ou 090-9141-1149

Tochigi

  • Tochigi-Ken Moka-shi Namiki-cho 2-2-13 2F TISC Fone: 0285-81-7662
  • Patrícia Hiromi Agostinho Komatsu: 090-7172-6290

Aichi
Aichi-ken Kariya-shi Izumida-cho Watta 77-1 Woody3 2F Fone: 0566-28-0070
Fonte: IPC Digital

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Quem pegou ajuda do governo japones, pode tirar visto no Brasil? Sim, a partir de 15/10/2013

 
1305334_662676233745369_1758571075_n
Liberaram enfim, em 15 de outubro de 2013 todos que pegaram ajuda poderão fazer a solicitação de visto para o Japão, abaixo tem o link com as novas exigências para slicitar o visto para quem é descnednete de japones, seus conjuges e filhos.
 
Lista com novas exigencias para o visto de quem pegou ajuda
Visto para nissei – Adicionar o contratode trabalho de um ano
Visto para sansei – Adicinar o contrato de trabalho de um ano
Conjuge de nissei, esposo(a) de segunda geração de japonês
Conjuge de sansei, esposo(a) de terceira geração de japonês
 
Abraços a todos s obrigado pelo apoio.
 
 
Era para ser em abril de 2012 a saída dos vistos do pessoal que pegou ajuda… (Já estamos no fim do mes de agosto de 2013, expectativa em alta, e muita frustração por parte de algumas pessoas devido a falta de um comunicado, mas ja saiu um visto de turismo em Curitiba  e mais um visto com certificado de elegibilidade para uma moça, e mais um esta a caminho, para ser solicitado visto no Brasil.)
Os consulados do Japão espalhados pelo Brasil e a embaixada japonesa em Brasília, estão recusando entrada de visto para quem pegou ajuda do governo japonês para retornar ao Brasil no auge da crise financeira mundial (kikoku shien jigyoo). Pelo seguinte motivo: a condição para se conceder a ajuda, era que o interessado aceitasse não voltar ao Japão por três anos, permanecendo em seu país de origem (nesse caso, o Brasil). Existem boatos (não confirmados) de uma pessoa que conseguiu o visto emitido em algum consulado japonês no Brasil, porém, na chegada ao Japão, este foi barrado na entrada e deportado para o Brasil, sem direito a entrar no país o que acaba comprometendo uma nova tentativa de conseguir o visto quando acabar o prazo para permanecer no Brasil.
Sendo isso boato ou não, o ideal para todos, é esperar o tempo combinado e depois tentar o visto normalmente.
passaporte japonesExistem pessoas e algumas agências que estão prometendo conseguir tirar o visto para quem pegou ajuda do governo e pegando dinheiro antecipado e depois dizem que não deu, não é aconselhável aceitar essas condições, pois o consulado japonês só cobra a emissão do visto caso este seja emitido no passaporte, se não der, eles não cobram, não existem agências ou intermediadores que possam fazer isso de outra forma pois o único meio de emitir o visto é através do consulado japonês que vai acatar as regras que foram estipuladas na época do acordo, por isso, não existe meios de emitir visto japonês para quem pegou ajuda do governo japonês na época da crise. Os consulados japones e a embaixada aceitam entrada de vistos para visitas a parentes ou em casos de urgências (doenças de parentes etc…) porém este visto é autorizado pelo Japão, e o consulado apenas concede a autorização caso o Japão decida pelo sim. 
Facebook
NOVIDADES SOBRE QUEM PEGOU AJUDA DO GOVERNO JP
 
Julho/2012 – Cosulado japonês começa a demorar  devolução do visto de sansei,(terceira geração) o que é para demorar 6 semanas em muitos casos passa de dois meses e nada de ser liberado. (leia)
10/04/2012 – O Consulado de São paulo não tem data para poder receber os visto do pessoal que pegou ajuda, como não veio nenhum comunicado do Japão, nem quem compeltou os três anos, poderão fazer solicitação do visto por enquanto, pudera o mercado de trabalho não está nada fácil por lá.
Novembro/2012 – A Kyodo News, uma agencia de Noticia do Japão comeca entrevistas com varias pessoas que pegaram ajuda para fazer uma matéria que será lançada apenas no Japão, esperamos que isso ajude à ter uma resposta das autoridades.
Janeiro de 2013 – Talvez já seja um bom sinal…uma senhora do Paraná, no Sul do Brasil, que pegou ajuda do governo japones para vir para o Brasil,  deu entrada no visto de turismo e conseguiu tirar depois de tres meses, em janeiro de 2013 o visto dela foi lilberado, ela escreveu uma carta ao consulado explicando o motivo da ida e o consulado enviouo o passaporte para o Japão junto com a documentação,  depois de 3 meses o visto foi liberado, o visto´dela é de turismo, para curta permanencia (90 dias) mas já é um alívio, pois é a primeira vez que alguem consegue este tipo de visto no Brasil.

Agosto de 2013, mais um visto japonês sera liberado par auma moça de centro oeste que pegou ajuda, este visto sera liberado com o certificado de elegibilidade  que foi emitido no Japão neste fim do mês, as cosias estao começando a melhorar aos poucos.

Para quem não consegue acessar as páginas dos comentários, segue abaixo os links de todas as páginas .
Página 1 Página 2 Página 3 Página 4 Página 5 Página6
Página7 Página8 Página9 Página10 Página11
Pagina13 Pagina14 Pagina15 Pagina16 Página 17  
Comunidade no Orkut voltada aos beneficiados que pegaram a “ajuda” do governo japones para voltar ao Brasil na época da crise financeira mundial e hoje sofrem com a espera e se alimenta com a perspectiva da volta. http://bit.ly/jwmuZz
 
yahouugroups Bate papo sobre visto japones
Criado para auxiliar a todos a conserguir tirar o visto japones, nos consulados do Brasil, com informações sobre alternativas possivel uando houver alguma dificuldade para conseguir o visto no Brasil. CLIQUE AQUI
 
 
facebook Bate papo sobre visto japones
Criado para auxiliar a todos a conserguir tirar o visto japones, nos consulados do Brasil, com informações sobre alternativas possivel uando houver alguma dificuldade para conseguir o visto no Brasil. CLIQUE AQUI

Como pedir 2ª via do nascimento dos pais para visto japonês

Untitled-1Como fazer para pedir a segunda via da certidão de nascimento ou de casamento dos pais para solicitar visto japonês?

Na lista de documentos para tirar o visto japonês tem um ítem que é meio confuso para entender (Certidão de Nascimento do pai ou da mãe descendente), porém quando o pai casa deixa a certidão de nasciento no cartório e fica só com a certidão de casamento, mas é muito simples pedir, existe duas formas.

  • Saber do pai ou da mãe onde é o cartório de registro
  • Entrar em contato com o cartório através do telefone
  • Se não souber os dados de registro, livro e folha, pode passar o nome do pai completo e data de nasicmento, que o cartório encontra as informações.
  • Pedir número de agência e conta do banco e fazer o depósito (em São Paulo custa 24,10+despesas de envio)

O cartório manda o documento em casa sem maiores dificuldades, pode ser em qualquer estado, aqui na agência eu faço alguns pedidos de Manaus e demora um pouco mas chega, cada estado tem o tempo certo de chegada mas vem sim.

Duvidas ou informações
cori@vistojapones.com.br
+55 11 99445-4148 – whatsapp

www.shigoto.com.br
visto japones, emprego no japao, turismo e passagem para o Japão

domingo, 26 de julho de 2015

Novo passaporte ainda não é aceito para aplicar visto japonês

Lançado no dia 10 de julho de 2015 o novo passaporte brasileiro de 10 anos de validade e custando R$ 257,25, não esta sendo aceito para aplicar o visto japonês nos consulados japonês do Brasil. Os consulados alegam que o passaporte brasileiro sofreu atualizações porem estas atualizações não foram informadas a todos os países do mundo, portanto o passaporte antigo, de 5 anos e com o Brasil da republica estampado na capa, é o único documento brasileiro de viagem reconhecido internacionalmente.

Este passaporte novo foi lançado para ajudar na questão de segurança do documento e para adaptar o nosso passaporte aos novos padrões mundiais, mas até o momento não esta sendo solução.

Vamos ver ate aonde vai esta brincadeira.

Cori Passos

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Saiu visto de quem pegou ajuda do governo japones

Agonia acabou…FINALMENTE
vistoajudado Nesta terça feira 14 de janeiro de 2014 saiu os dois primeiros vistos de quem pegou ajuda do governo japonês, os vistos foram emitidos no consulado de São Paulo, apesar de ter sido solicitado em datas diferentes os vistos foram liberados juntos, de sete semanas de espera, os vistos para nissei (segunda geração de japonês) são liberados em situações “normais” em apenas uma semana e os dois vistos de quem pegou ajuda de segunda geração saiu em sete semanas devido a analise que o consulado tem que fazer junto a imigração japonesa.
 
O visto que normalmente sai de três anos no Brasil, teve um prazo de permanência de apenas um ano, de acordo com o contrato apresentado junto com os documentos na hora da solicitação.

O mais curioso é que este visto vem com uma pequena sequencia numérica logo abaixo da data de nascicmento, esta sequencia não se vê nos vistos de quem não pegou ajuda. Do mais, é tudo normal.

O bom é que a agonia enfim acabou e todos podem correr com os seus documentos e solicitar o seu visto.
www.shigoto.com.br

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Novos valores das taxas do Consulado do Japão em São Paulo

A partir do dia 1º de abril de 2015 as taxas dos serviços consulares sofrerão reajuste conforme tabela a seguir. Os valores entre parenteses ( ) indicam as taxas anteriores ao reajuste. As novas taxas serão aplicadas aos requerimentos aceitos a partir do dia 1º de abril de 2015.

Tipos de documentos

Valores em reais (R$)

 

Novo

Anterior

 

Autenticação de testamento

127,00

(124,00)

 

Passaporte  Comum

Válido por 10 anos

356,00

(348,00)

 

Válido por 5 anos

244,00

(239,00)

 

Para menores com 12 anos incompletos

133,00

(130,00)

 

Passaporte de uso restrito                                              

133,00

(130,00)

 

Alteração dos dados do passaporte

 

Acréscimo do país de destino

36,00

(35,00)

 

Acréscimo de páginas para Visto

56,00

(54,00)

 

Autorização (Documento) de Retorno ao Japão

56,00

(54,00)

 

Vistos de  entrada

Visto de uma entrada

a. Brasileiros e outros

67,00

(65,00)

 

b. Indianos

18,00

(18,00)

 

c. Iranianos

111,00

(109,00)

 

Visto de múltiplas  entradas

a. Brasileiros e outros

133,00

(130,00)

 

b. Indianos

18,00

(18,00)

 

c. Iranianos

222,00

(217,00)

 

Visto de trânsito

a. Brasileiros e outros

16,00

(15,00)

 

b. Indianos

2,00

(2,00)

 

c. Iranianos

111,00

(109,00)

 

Extensão da Permissão de Re-Entrada

67,00

(65,00)

 

Certidões

Certidão de Nacionalidade

98,00

(96,00)

 

Atestado de Residência

27,00

(26,00)

 

Certidão de Nascimento, Casamento, Óbito e outras referentes aos dados pessoais

27,00

(26,00)

Atestado profissional

44,00

(43,00)

 

Reconhecimento de firma ou selo

 

a. de Repartições Públicas

100,00

(98,00)

 

b. Outros

38,00

(37,00)

 

Atestado de Cinzas ou Corpo

56,00

(54,00)

 

Atestado de Procedência de Produtos Brasileiros

98,00

(96,00)

 

Atestado de Importação por País Estrangeiro de Produtos Japoneses

84,00

(83,00)

Atestado da Lista de Pertences Encontrados no Interior do Navio Japonês (de falecidos ou desaparecidos)

20,00

(20,00)

Atestado de Comunicação Marítima

29,00

(28,00)

 

Demais Certidões e atestados que não constam na lista acima

47,00

(46,00)

Para mais informações, favor entrar em contato com o Consulado Geral do Japão em São Paulo: 
Tel.: 11 3254-0100